Casa do Brás

“Só agora reparo: vai-me guiando Brás Martins da Costa, sutil latinista, fotógrafo amador, repórter certeiro, preservador da vida em movimento. A foto viagem continua ontem-sempre, mato a dentro, imagem, vida última dos seres”.¹

A Casa do Brás vem ganhando notoriedade nos últimos anos. Único ponto sem referência direta a Carlos Drummond de Andrade, foi construída em 1857 e pertenceu ao fotógrafo itabirano Brás Martins da Costa. Celebrado pela sociedade itabirana, Brás Martins registrou o cotidiano das famílias, das festas religiosas e dos eventos políticos, a partir da década de 1890. Restaurada em 1998, a Casa passou a ser reduto oficial das principais exposições realizadas pela Fundação Cultural. Mas em 2005, um incêndio criminoso interditou o uso do espaço. Durante a reforma, a Casa do Brás passou por importantes adaptações e foi reinaugurada em fevereiro de 2012. Hoje, é lar da Escola Livre de Música e recebeu, em 2013, a exposição permanente “Foto viagem nos tempos do Mato Dentro”, com fotos de Brás Martins retiradas do livro “No Tempo do Mato-Dentro”, dos itabiranos Altamir José de Barros e Robinson Damasceno dos Reis.

 

Escola Livre de Música

Criada em 2011, a Escola Livre de Música se dedica à formação e qualificação profissional dos músicos itabiranos. Atualmente, o corpo docente formado por 12 professores oferece aulas de violão, viola, piano, saxofone, violino, violoncelo, flauta, canto, contrabaixo acústico e percepção musical. Os 140 alunos matriculados nas disciplinas da Escola assistem a aulas individuais e mantém seus estudos focados na prática de seu instrumento. O aprendizado é completado com as aulas de Percepção e Teoria Musical cursada por todos os matriculados.

Duas vezes por ano a Escola abre novas vagas e realiza audições para entrada de novos alunos interessados. Além disso, a Escola conta com um acervo de instrumentos que empresta aos alunos para que possam assistir às aulas e manter seus estudos. Hoje, a Escola conta com 18 violinos, 5 violas de arco, 10 violencelos, 5 baixos acústicos, 6 flautas transversais, 20 flautas doces, 10 saxofones, 2 pianos de armário, 1 piano de meia cauda, 11 violões, 1 trombone de vara, 2 clarinetes, 2 trompetes e 3 marimbas artesanais.

¹. Trecho extraído do poema “Imagem, Terra, Memória” de Carlos Drummond de Andrade